Há 28 anos o Rally dos Sertões levanta a poeira descobrindo o Brasil. Em 2020, mesmo com a pandêmia não poderia ser diferente

A edição de 2020 começou 30/10/2020 em Mogi Guaçu (SP).

Serão sete etapas percorrendo cinco estados: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Maranhão, além do Distrito Federal, num total de 5.000 km desafiadores, passando por diferentes paisagens e tipos de pisos, o que o torna um rali técnico e único no mundo. A chegada acontece dia 7 de novembro em Barreirinhas (MA).

A caravana tem 1.500 pessoas, sendo 1.097 só no apoio das provas e 403 competidores.

Por conta da pandemia, o rali irá se deslocar em bolhas, como a NBA, em vez do modelo tradicional, que parava de cidade em cidade confraternizando com a população local.

Dentro da bolha do rali, um protocolo especial com testagem maciça dos participantes e outros cuidados, como cabines de esterilização. E o aparato da saúde foi reforçado: 32 pessoas na equipe médica contam com dois helicópteros UTI, dois 4×4 adaptados para socorro emergencial e uma carreta ambulatório com aparelhos de ultrassom e raios X .


O circo do Sertões tem ainda dois aviões, dez carretas, três ônibus, além de 63 veículos 4×4. E cerca de 5.000 refeições serão servidas durante a maratona de oito dias.

Entre os corredores, ao todo, 233 veículos de quatro tipos (carros, UTVs, motos e quadriciclos) participam em três modalidades (Cross-Country, Regularidade e Light).

A prova exige desempenho, resistência e versatilidade. Para os pilotos, bem como navegadores, mecânicos e toda a equipe, o desafio é ainda maior.

O entrosamento entre os pilotos, navegadores e o veículo é essencial para que tudo acabe bem. E não basta pilotar e navegar bem. Ambos precisam entender de mecânica, já que as quebras durante as provas devem ser reparadas por eles próprios, pelo menos para chegar até o fim de cada etapa, onde as equipes ficam a postos.

Outra particularidade do rali é que não existe uma competição homem a homem. Vence quem fizer o melhor tempo no percurso total. Portanto, esqueça as disputas típicas de uma corrida no asfalto. Aqui a rivalidade é do piloto com ele mesmo.

O fairplay no Rally dos Sertões acontece de maneira natural e institucionalizada: se um competidor estiver em apuros, outros concorrentes podem parar para ajudar e depois ter esse tempo descontado em sua cronometragem final. Isso cria um ambiente de competição com camaradagem, afinal de contas, 5.000 km sob sol, chuva e com noites maldormidas entre outros perrengues já são obstáculos suficientes para que a competição seja um grande desafio para todos.

AS CATEGORIAS

São cinco categorias praticadas no Rally dos Sertões 2020:

Cross-country – É a principal do rali, que é disputado em três modalidades: carros, motos e quadriciclos, e UTVs

SPRINT – Disponível para todas as modalidades, tem os mesmos elementos da Cross- Country, com três etapas

AMIGOS – Disponível para todas as modalidades, é disputada com dois pilotos, que vão alternando a prova

Regularidade – Para os adeptos de precisão e pontualidade, esta não exige necessariamente velocidade

Sertões Light – Um desafio de roteiro, sem competição, apenas um passeio seguindo o rali de perto, com seu 4×4 de estimação

Por Fábio Black – Revista 4×4

Adaptação Junim10B – Na Trilha Certa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
25 − 12 =