SOBERANOS

 

Campeonato Brasileiro de MTB XCO em Mairiporã (SP). (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

Brasileiros mais bem colocados no ranking da União Ciclística Internacional (UCI), Henrique Avancini e Raiza Goulão fizeram jus ao favoritismo no campeonato nacional de mountain bike, o MTB Festival. No sábado (31), em Mairiporã (SP), em um circuito com muita lama devido à chuva, a dupla levou os títulos masculino e feminino do cross country olímpico (XCO), prova olímpica da modalidade.

Na disputa entre as mulheres, Raiza venceu praticamente do começo ao fim da prova, batendo a atual campeã Letícia Cândido, que ficou em segundo, com Hercília Narjara em terceiro. Ao cruzar a linha de chegada, a goiana de Pirenópolis – atualmente em 48º lugar no ranking mundial feminino – não conteve a emoção. No ano passado, a ciclista foi diagnosticada com a Deficiência de Energia Relativa no Esporte (RED-S, na sigla em inglês), síndrome que se dá quando a energia disponível para exercícios não assegura a parte fisiológica do atleta e pode influenciar o metabolismo e a imunidade.

Raiza e Letícia durante a disputa do XCO. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

“[2019] Foi um ano bem atípico para mim. Foi um desafio muito grande, mais pessoal que profissional. Sou muito grata a minha médica, minha psicóloga, meu treinador. Com o apoio de todos, voltei em 2020 respeitando meus limites e recuperando a performance. Por sempre exigir demais do meu corpo, tive que optar pela saúde”, celebrou Raiza, em entrevista depois da prova.

Raiza comemora mais um título no XCO. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

A disputa masculina começou difícil para Avancini, que teve um pneu furado. O fluminense de Petrópolis se recuperou, mantendo-se na cola do então líder José Gabriel Marques e assumindo a ponta na terceira das quatro voltas para não mais perdê-la, mantendo o rival em segundo lugar. Luiz Henrique Cocuzzi, número dois do Brasil no ranking da UCI, completou o pódio em Mairiporã.

Avancini durante a prova. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

“O planejamento do ano que vem já se encontra bem alinhado. Essa semana tem uma rodada de reuniões para definirmos, antes da pausa na temporada. Em dezembro, possivelmente, eu já faça o primeiro training camp na África do Sul. Pude terminar o ano bem. Cresci muito neste ano. Agora é recarregar a cabeça, porque 2021 tem tudo para ser um ano melhor que 2020, mesmo não tendo competido muito”, destacou Avancini, líder do ranking mundial masculino no XCO e vencedor da segunda etapa da Copa do Mundo da modalidade.

Avancini cruza a linha para comemorar mais um título na carreira. (Foto: Luis Claudio Antunes/PortalR3)

Na sexta-feira (30), Henrique já havia vencido a prova do short track (prova mais curta que o cross country) no MTB Festival entre os homens, a frente de José Gabriel e de Gustavo Xavier. No feminino, a ganhadora foi Giuliana Morgen, deixando Raiza na segunda posição e Letícia Cândido na terceira.

Fonte: portalr3.com.br

Foto destacada: Felipe Almeida

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
18 + 24 =