Em parceria com o Instituto Tocar, a Secretaria de Desenvolvimento Social do DF promove ações que podem ter papel crucial na vida de quem busca suporte nos alojamentos provisórios criados devido à pandemia.

Exemplo disso é a história do maratonista Hudson Manhuari. Após passar por problemas familiares, falta de apoio e depressão, o atleta paranaense estava em situação de rua.

Há um mês e meio, Hudson recebeu acolhimento no Alojamento Provisório do Autódromo Nelson Piquet. Com incentivo dos programas de assistência social desenvolvidos na unidade, o atleta conseguiu retomar a carreira esportiva.

“Eu passei dois anos nas ruas, sem apoio da própria família. Eu estava desacreditado também da potência  que eu tenho no meu corpo. Deus me tirou dali e hoje eu estou no mundo dos esportes. O meu objetivo de vida é ser um atleta de alto rendimento e mostrar para as pessoas que nem todo mundo que tá na rua merece ser julgado com os olhos de um fracassado”.

A primeira prova disputada por Hudson nesta nova fase da carreira foi a corrida BSB Run 2020, evento que marcou a liberação proposta pelo GDF para a retomada dessas atividades esportivas.

Fonte: Agencia Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
21 − 6 =