Outras quatro iguais serão entregues neste semestre. Com custo baixo, modelo arquitetônico é prático e pode servir de inspiração para todo o Brasil

Vinícius e Melo
Base descentralizada do Samu, na Asa Norte, vai atender ao Plano Piloto | Foto: Vinícius de Melo/Agência Brasília

Com instalações modernas, de fácil montagem e desmontagem, e altamente econômicas, o Governo do Distrito federal (GDF) está servindo de modelo para o Brasil ao criar as bases descentralizadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A primeira de quatro prometidas para este semestre foi inaugurada nesta quarta-feira (3), na 905 Norte, e atenderá chamados na região do Plano Piloto.

“Este modelo servirá, com certeza absoluta, de modelo para o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pela praticidade, pela economicidade e pela modernidade”, ressaltou o vice-governador Paco Britto. Com investimento de R$ 350 mil, a nova instalação é toda modular e conta com duas viaturas e seis profissionais. “É uma base que pode, inclusive, ser removida e levada para outro local, pois tem um projeto arquitetônico inteligente, construído a partir de contêineres”, completou Paco.

Atualmente, o Samu possui 22 bases que atendem a todo o Distrito Federal. Além desta inaugurada na Asa Norte, mais três unidades modulares estão em processo de instalação: duas em Taguatinga e uma em Samambaia. “Este é um trabalho muito primoroso e a equipe da Saúde do DF é modelo para o país”, destacou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto. De acordo com ele, o projeto de descentralização inclui outras oito obras, totalizando 12 bases modulares até o final de 2023.

Base foi inaugurada nesta quarta-feira (3). Outras três também começarão a operar neste semestre | Foto: Vinícius Melo/Agência Brasília

Descentralização

“O objetivo das bases em operarem de forma descentralizadas é garantir a cobertura territorial e viabilizar a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo possível”, explica o diretor da unidade do Samu, Victor Queiroz.

A base descentralizada da Asa Norte, por exemplo, tem equipe para atendimento básico – quando o atendimento é feito por técnicos – e avançado – com assistência realizada por médicos e enfermeiros. Hoje, o Samu conta com 30 viaturas de suporte básico, oito viaturas de suporte avançado e um aeromédico distribuídas nas 22 bases.

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
16 ⁄ 8 =