Seis unidades de diferentes regiões administrativas terão equipamentos para descarte de pilhas, baterias e outros eletrônicos

Por meio da Agenda Ambiental A3P, o Instituto Brasília Ambiental está instalando pontos de entrega voluntária (PEVs) de resíduos eletrônicos nos parques sob sua administração. A iniciativa é fruto de parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Programando o Futuro, com a meta de incentivar o descarte correto de resíduos que possuem substâncias tóxicas capazes de contaminar solo e água.

O Parque Três Meninas, em Samambaia, foi um dos primeiros beneficiados com os pontos de descarte | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Coletores têm estrutura de ferro e podem acondicionar toda espécie de resíduos eletrônicos

Nesta primeira etapa, seis parques vão receber os pontos de coleta. As primeiras unidades contempladas foram os parques ecológicos Três Meninas (Samambaia), em 29 de abril; Areal e Veredinha (ambos em Brazlândia), nos dias 5 e 6 deste mês. As próximas unidades a receberem os PEVs são os parques Jequitibás (Sobradinho), Paranoá e Sucupira (Planaltina).

Os coletores medem 1,58 metros de altura por 1,12 metros de largura, são confeccionados em estrutura de ferro e resguardam em seu interior um porta-bag que recebe o material e é de fácil manuseio. Neles podem ser deixados todo tipo de resíduos eletrônicos, como pilhas, carregadores, celulares, baterias, computadores, tablets, estabilizadores, fax, impressoras, HDs, televisores e aparelhos de micro-ondas, entre outros.

Gestão inteligente

O coordenador da A3P do Brasília Ambiental, Webert Oliveira, explica que a ação se inicia com a adesão ao projeto Reciclotech, da Secti, que visa potencializar a gestão inteligente de resíduos eletrônicos, executando, entre outras ações, a criação e a implantação das caixas de coleta, a logística de recolhimento e a correta destinação desses resíduos.

“Os equipamentos eletrônicos possuem potencial altamente poluente, e é fundamental que tenham a destinação correta”Valéria de Oliveira, gerente do Reciclotech

Segundo ele, após a primeira fase de instalações, a iniciativa deve ser ampliada para os demais parques que já têm sede administrativa. “Pretendemos estabelecer outras parcerias ao longo deste ano para o recolhimento dos demais produtos da logística reversa e também da coleta seletiva”, informa. “Essas ações estão previstas nas metas da Agenda Ambiental da A3P, nos ODS [Objetivos do Desenvolvimento Sustentável], nas Metas do Milênio e na Agenda 20/30”.

A gerente do Reciclotech, Valéria de Oliveira, ressalta a importância da parceria com o Brasília Ambiental, pois os parques e unidades de conservação (UCs) administrados pelo órgão são locais de grande circulação de pessoas consideradas integrantes de um público já com consciência ambiental. “Os equipamentos eletrônicos possuem potencial altamente poluente, e é fundamental que tenham a destinação correta”, enfatiza.

Valéria também lembra que o que é considerado lixo para alguns pode ser matéria-prima para geração de emprego e renda para outros. “Dentro desse entendimento, o Reciclotech retira corretamente o lixo eletrônico, recondiciona o que é possível e faz o descarte correto, junto aos recicladores credenciados, do lixo que não é possível recondicionar”, esclarece. O projeto existe desde o ano passado e tem como meta instalar 120 PEVs em todo o Distrito Federal.

*Com informações do Brasília Ambiental

Fonte: Agência Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
25 − 14 =