Segundo GDF, mais 60 mil beneficiários que recebem Auxílio Emergencial serão contemplados, ainda sem prazo definido. Valor mínimo do programa é de R$ 20.

Bolsa Família — Foto: LIDIANNE ANDRADE/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Bolsa Família — Foto: LIDIANNE ANDRADE/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Governo do Distrito Federal (GDF) começou a pagar, nesta terça-feira (20), o crédito do programa DF Sem Miséria a 24 mil famílias de baixa renda. O benefício, que varia de R$ 20 a R$ 960, também será destinado a mais 60 mil moradores da capital, ainda sem prazo definido pelo Executivo.

O DF Sem Miséria é pago a pessoas com renda per capita de até R$ 140 (veja mais detalhes abaixo). Nessa primeira etapa, o benefício será depositado para o grupo que compõe a “folha regular”, que são pessoas não contempladas pelo Auxílio Emergencial do governo federal.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), o benefício está atrelado ao calendário do Bolsa Família. Por isso, o prazo para custear o valor para as outras 60 mil famílias, chamadas de “folha externa”, é maior.

“Devido a trâmites operacionais, ocorre de demorar um pouco mais para ser creditado em relação à folha regular, ou seja, aqueles que não recebem o Auxílio Emergencial”, informou a pasta.

 

Confira calendário de pagamentos, com base no dígito final do Número de Identificação Social (NIS):

Calendário de pagamento do Bolsa Família em 2021 — Foto: Ministério da Cidadania

Calendário de pagamento do Bolsa Família em 2021 — Foto: Ministério da Cidadania

Quem tem direito ao benefício?

 

O DF Sem Miséria é um programa adicional ao Bolsa Família, do governo federal. Tem direito ao benefício, moradores da capital que, mesmo após receberem os benefícios de transferência de renda, apresentarem renda per capita familiar de até R$ 140.

O valor do benefício, de R$ 20 a R$ 960, varia de acordo com a composição da renda familiar, somada aos valores recebidos pelo Bolsa Família. Apenas em julho, o GDF deve pagar R$ 12,7 milhões para custear o programa.

Os interessados precisam estar inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) para Programas Sociais do governo federal. Para fazer a inscrição, o beneficiário deve telefonar para o número 156.

Em seguida, deverá fazer o agendamento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da própria região. As exigências para fazer a inscrição são renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa ou renda mensal total de até três salários mínimos.

Os documentos exigidos para a inscrição são: CPF ou título de eleitor e um documento de identificação de cada membro da família.

fonte: G1 df

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
32 ⁄ 16 =