Uma parceria entre a Universidade de Oxford e a empresa biofarmacêutica NuCana descobriu que o medicamento anticâncer derivado de um fungo do Himalaia.

O NUC-7738 tem uma potência 40 vezes maior para matar células cancerosas do que seu composto original.

Os resultados do estudo foram publicados na Clinical Cancer Research e passaram nos primeiros testes em humanos.

Conhecido como Cordycepin, ele é encontrado no fungo Cordyceps sinensis do Himalaia e tem sido usado na medicina tradicional chinesa por centenas de anos para tratar câncer e outras doenças inflamatórias.

Eficácia melhorada

A empresa biofarmacêutica NuCana desenvolveu Cordycepin em uma terapia clínica.

Eles utilizaram uma nova tecnologia, a ProTide, para criar um medicamento de quimioterapia com eficácia melhorada.

Como esse fungo se decompõe rapidamente na corrente sanguínea, uma quantidade mínima de droga destruidora do câncer é liberada para o tumor é rapidamente decomposto no sangue por uma enzima chamada ADA.

Juntos, esses mecanismos de resistência associados ao transporte, ativação e degradação resultam na entrega insuficiente do metabólito anticâncer para o tumor.

Primeiros resultados em humanos

Pesquisadores de Oxford e seus colaboradores em Edimburgo e Newcastle estão agora avaliando o NUC-7738 no ensaio clínico de Fase 1 NuTide: 701, que testa a droga em pacientes com tumores sólidos avançados que eram resistentes ao tratamento convencional.

Os primeiros resultados do ensaio mostraram que o NUC-7738 é bem tolerado pelos pacientes e mostra sinais encorajadores de atividade anticâncer.

Outros ensaios clínicos de Fase 2 deste medicamento estão agora sendo planejados em parceria com a NuCana, para aumentar o número crescente de medicamentos contra o câncer com tecnologia ProTide que estão sendo desenvolvidos para tratar o câncer.

Fonte: Sonoticiaboa

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
26 × 16 =