A partir desta segunda-feira (2), os usuários podem acessar os livros da maior biblioteca pública do DF sem intermediários

A Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) retoma nesta segunda-feira (2) a consulta direta pelos usuários ao acervo de 31.169 títulos. Até então, os empréstimos eram realizados pelo sistema online e agendamento por e-mail para pegar o material reservado. No caso do público presente na maior biblioteca pública do DF, os livros eram obtidos por intermédio de servidores do espaço, os únicos que tinham autorização para entrar nos aquários.

A consulta direta ao acervo se justifica pela queda na taxa de transmissão do coronavírus e ao baixo risco de contaminação pelo manuseio de livros que estudos já constataram. “É com grande alegria que a BNB consegue reabrir o acervo”, comemora a diretora interina do equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec), Mariana Greenhalgh.

“É com grande alegria que a BNB consegue reabrir o acervo”, comemora a diretora interina do equipamento da Secec, Mariana Greenhalgh

Espaço interativo com acervo composto de histórias em quadrinhos, mangás, jogos eletrônicos e de tabuleiro, o BNB Geek também retoma nesta segunda-feira. A cultura “geek” alude ao interesse por tecnologia voltada para o entretenimento. “A abertura desses acervos é uma forma de aproximar a sociedade da leitura, da literatura, do conhecimento e, no caso do Geek, do lazer, de que também estamos precisando depois do longo período de isolamento social”, comenta a gestora.

Formada por áudios de livros para deficientes visuais, pessoas com falta de sensibilidade na ponta dos dedos para leitura em braille e portadores de condições como a doença de Parkinson, a Audioteca também volta a funcionar. Todos os audiolivros foram doados pela Fundação Dorina Nowill. São disponibilizados 123 títulos diferentes. Entre os títulos estão autores como Manuel de Barros, Pedro Bandeira, Paulo Freire, Agatha Christie, Augusto Cury, Stephen King e José Saramago.

O gerente de atendimento da BNB, Rodrigo Mendes, diz que, desde o mês passado, a biblioteca passou a utilizar novamente todo o espaço de 168 mesas de estudo individual

“A reabertura plena é um processo, mas estamos avançando”, diz o gerente de atendimento da BNB, Rodrigo Mendes. Ele lembra que, desde o mês passado, a BNB passou a utilizar novamente todo o espaço de 168 mesas de estudo individual, que foram reduzidas para 97 na reabertura parcial, num momento em que o distanciamento do mobiliário para segurança dos usuários ainda era imperativo.

No planejamento, está a reabertura do Espaço Infantil. Entre suas finalidades estão oficinas de contação de histórias e orientação pedagógica sobre escolha de obras adequadas a cada fase do desenvolvimento infantil.

“Trata-se de um local de interação, não apenas de utilização, que precisa de alguém com capacitação para atender”, justifica. A sala é equipada com mesas para desenhar e pintar, espaço interativo para jogos e atividades educativas, além de centenas de livros e gibis, que compõem o acervo de aproximadamente 3 mil títulos.

O acesso a itens especiais precisa ter as visitas agendadas. Esse acervo é composto pela “Coleção de Documentos Históricos Brasileiros” (94 títulos), voltada à memória nacional; a “Coleção de Obras Raras” (408 livros), formada por exemplares que possuem alguma particularidade notável; e a “Coleção Cultural”, de memória institucional, com publicações da Secec e que tiveram incentivo do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), contando 60 obras.

Biblioteca Nacional de Brasília
– Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; sábado e domingo, das 8h às 14h.
– Endereço: Setor Cultural Sul – SCTS Lote 2 Ed. Biblioteca Nacional de Brasília
– Telefone: (61) 3325-6257
– E-mail: [email protected]

De: Redação / Fonte:AgênciaBrasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 4 =

Solve : *
22 ⁄ 2 =