Lembra da Zara Rutherford, a piloto de 19 anos que queria ser a mulher mais jovem a dar a volta ao mundo? Pois é, ela conseguiu!!!

Zara Rutherford, de 19 anos, é a mulher mais jovem a completar uma circunavegação de 52.000 km da Terra. Foto: Instagram
Zara Rutherford, de 19 anos, é a mulher mais jovem a completar uma circunavegação de 52.000 km da Terra. Foto: Instagram

Lembra da Zara Rutherford, a piloto de 19 anos que queria ser a mulher mais jovem a dar a volta ao mundo? Pois é, ela conseguiu!!!

Além disso, a piloto belgo-britânica bateu vários recordes depois de completar a circunavegação de 52.000 km da Terra.

Aterrissando no Aeroporto Kortrijk-Wevelgem, no oeste da Bélgica, na última quinta-feira, ela se tornou a mulher mais jovem e a primeira belga a voar sozinha ao redor do mundo. Ela também é a primeira pessoa a fazê-lo em uma aeronave ultraleve. Ela levou 155 dias.

Entrou para a história

A mulher mais jovem a realizar a famosa façanha da aviação foi a americana Shaesta Waiz, que também fundou uma organização sem fins lucrativos chamada Dreams Soar, que Zara Rutherford estava apoiando em sua longa jornada. Uma reviravolta engraçada do destino viu os dois trekkers do globo unidos em uma escala.

Zara fez a travessia de 41 países para inspirar mais mulheres e meninas a entrar em outros campos STEM, mas obvia e particularmente na aviação.

Observando que apenas 5,1% dos pilotos são mulheres, ela descreveu a ocupação para a CNN no ano passado como “uma carreira em que você basicamente é pago para viajar pelo mundo”.

Ela também está apoiando a organização sem fins lucrativos Girls Who Code.

As dificuldades da viagem

E nem tudo foi fácil para a aeronave ultraleve de 160 mph. Tanto o clima extremo quanto as dificuldades de visto afetaram o avião e a piloto.

Originalmente planejada para três meses e 52 países, a rota teve que ser alterada devido a desembarques não programados, entre eles, para evitar incêndios florestais na Califórnia e uma negação de permissão de travessia sobre a China.

“Eu diria que a parte mais difícil foi definitivamente voar sobre a Sibéria – estava extremamente frio. Fazia menos 35 graus Celsius no solo”, disse Rutherford durante uma entrevista coletiva.

“Se o motor parasse, eu estaria a horas de resgate e não sei quanto tempo poderia ter sobrevivido.”

Rutherford estava pilotando a fibra de carbono e epóxi Shark Aero, uma das aeronaves ultraleves mais rápidas do mundo – construída por especialistas e modificada para os rigores da circunavegação da Terra.

Veja essa jornada épica:

Com informações do GNN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

três × dois =

Solve : *
29 − 24 =