O Centro Olímpico da cidade oferece treinamento gratuito a cerca de 100 alunos de 4 a 11 anos

O Dia do Tenista, 9 de junho, já pode ser comemorado no Centro Olímpico e Paralímpico (COP) da Estrutural, onde cerca de 100 crianças dão os primeiros passos no aprendizado do tênis. Utilizando um paredão e uma quadra, o professor Blukeine Queiroz dá aulas pela manhã e à tarde para alunos de 4 a 11 anos.

“Estamos em uma fase inicial de treinamento, mas vamos preparar as crianças para jogar campeonatos de tênis”, diz o professor Blukeine Queiroz | Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

Apesar de o espaço dedicado ao tênis ser ao lado da quadra de futebol, muitos meninos e meninas trocam a paixão nacional pelo esporte da raquete e da bolinha. O instrutor garante que, nos nove meses de curso, muitos já demonstram habilidade para o esporte.

“O tênis é tido como um esporte caro, mas os centros olímpicos o oferecem gratuitamente e essa é uma forma que o Estado tem de propor um incentivo a mais na vida dessas crianças”, diz o diretor do COP, Flávio Sena

“Tentamos fazer um trabalho para que eles se interessem. Quando eles pegam o jeito, começam a gostar e pedem para jogar tênis”, diz o professor. Blukeine informa que o próximo passo é preparar a equipe para disputar. “Estamos em uma fase inicial de treinamento, mas vamos preparar as crianças para jogar campeonatos de tênis. Isso deverá acontecer até o final do ano”. As crianças são divididas em seis turmas, três pela manhã e três à tarde. Cada aula dura 50 minutos.

O diretor do COP, Flávio Sena, afirma que, apesar de o tênis ainda representar um mistério para a maior parte das crianças que frequentam o centro, muitas estão se arriscando e gostando de praticar o esporte.

Ana Clara Cardoso foi matriculada inicialmente na natação, mas teve curiosidade de testar as aulas de tênis e gostou. “É divertido”, diz a aluna, de 10 anos

“O tênis é tido como um esporte caro, de elite, mas os centros olímpicos o oferecem gratuitamente e essa é uma forma que o Estado tem de propor um incentivo a mais na vida dessas crianças”, analisa o diretor. Além de disponibilizar treinador, o COP da Estrutural oferece o material necessário para a prática do esporte, como raquetes e bolas.

A curiosidade em relação ao esporte não é só de crianças, mas também de mães, que assistem às aulas quando podem. Este é o caso de Girlândia Maciel, 48 anos, que acompanha com entusiasmo a evolução no esporte da filha Ana Clara Cardoso, 10.

“A princípio ela foi matriculada na natação, mas, quando viu a opção de tênis, gostou e resolveu treinar. Olha, gosto muito, acho que até eu já estou aprendendo”, brinca Girlândia. Ana Clara já demonstra familiaridade com o esporte: “É divertido”, diz a menina, com pressa para voltar ao jogo.

Confira aqui todas as modalidades esportivas oferecidas nos COPs.

Fonte: Agencia Brasilia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 3 =

Solve : *
15 × 21 =