Iniciativa é do projeto Social Reciclando o Futuro, em parceria com clínicas privadas, e tem foco no aprendizado dos estudantes nessa volta às aulas presenciais

Os estudantes de Sol Nascente/Pôr do Sol ganharam um incentivo a mais para essa retomada presencial das atividades escolares. Cinquenta óculos foram doados para crianças de 6 a 12 anos da região. A ação contou ainda com consultas de optometria – medição do poder e da amplitude da visão – para os pequenos pacientes.

Sem uma fonte de renda fixa após perder o emprego, Viviane Sotero da Silva, de 36 anos, estava há dois anos tentando um exame de vista para o filho Enzo Gabriel, 11. “Ele sempre reclamou de dores de cabeça e de uma certa dificuldade na escola. Eu sempre acreditei que pudesse ter alguma ligação com a visão”, disse a moradora do Trecho 2.

Caso parecido relata a dona de casa Géssica Caroline Sotero da Silva, 28. “Os constantes relatos de dores de cabeça feitas por ele estavam me preocupando”, conta a mãe em relação ao pequeno Marlon, 9.

De acordo com a fundadora do Instituto Reciclando o Futuro, responsável pela iniciativa, o objetivo, além da saúde visual, é que essas crianças tenham melhor aproveitamento escolar ao longo do ano letivo. “Acompanhamos a comunidade de Sol nascente/Pôr do Sol há anos e sempre percebemos que, constantemente, muitas mães relatam problemas de aprendizado por parte dos filhos”, destaca a gestora. “Buscamos parcerias com empresas privadas, como é o caso da Summer Ótica, para tentar resolver esse problema, que já providenciou mais de 100 óculos para essas pessoas”, lembrou.

Reciclando o Futuro precisa de voluntários
O Reciclando o Futuro é uma entidade sem fins lucrativos e tem no voluntariado sua principal força de trabalho. Nesse sentido, a instituição segue com espaço aberto para quem quiser e puder oferecer seu trabalho em prol das famílias mais vulneráveis do Distrito Federal.

Para ingressar nessa atuação, basta preencher o formulário online (https://docs.google.com/forms/d/1an8oaV3exL8q5Z7-U0u_BGWIc4c1MuNsHCbCe32UWL8/viewform?edit_requested=true) com as informações que mais se identificar. Por exemplo, a área de maior interesse, como planejamento de ações, atendimento aos assistidos, captação de doações e afins; ou o grupo com o qual deseja trabalhar, entre mulheres, pessoas com deficiência, idosos, crianças ou pessoas em situação de vulnerabilidade econômica.

O Instituto Reciclando o Futuro existe de 2017 e começou a atuação com trabalho junto a catadores do antigo Aterro Sanitário Controlado do Jóquei, mais conhecido como Lixão da Estrutural.

Atualmente, devido ao aumento expressivo dos casos de violência contra mulher nas comunidades atendidas em diversas regiões do Distrito Federal, a entidade ampliou a atuação para o trabalho com mulheres em situação de vulnerabilidade. “Nosso trabalho não é apenas pedir e fazer doações. A gente foca nossa atuação na garantia e ampliação de direitos, bem como na proteção socioassistencial dessas famílias”, explica Renata D’Aguiar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dois × cinco =

Solve : *
11 + 18 =