Caesb investe R$ 815 mil para adquirir o Eletrocentro, que funciona como uma subestação e possibilita mudanças de local

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) adquiriu um Eletrocentro, equipamento que funciona como uma subestação de energia, um investimento de cerca de R$ 815 mil. A solução de 750 kVA está instalada no galpão da Gerência de Engenharia e Desenvolvimento da companhia, no Parque de Serviços do SIA. Uma das grandes vantagens é a redução nos custos das obras da Caesb, que ficam reduzidos às bases para a instalação do equipamento.

Eletrocentros são salas, do tipo contêiner, feitas de estruturas metálicas modulares e transportáveis, que possuem toda estrutura e equipamentos destinados ao fornecimento e gerenciamento de energia. São fabricados e pré-testados em fábrica, de acordo com o projeto solicitado. No Eletrocentro, podem ser montados nobreaks, quadros de iluminação e tomadas, transformadores, quadros de baixa tensão e distribuição, carregadores de baterias, entre outros.

Eletrocentro adquirido pela Caesb possibilita mudanças e local e aproveitamento em diferentes obras | Foto: Divulgação/Caesb

A Caesb possui um galpão da oficina mecânica que, ao longo dos anos, adquiriu equipamentos como tornos, furadeiras e fornos industriais que não estavam previstos no projeto inicial para esta oficina. Com isso, a carga de energia previamente concebida no projeto aumentou muito, e foi necessária uma nova subestação para suprir a demanda.

 

Além da redução nos custos das obras civis, o uso do Eletrocentro reduz o tempo de montagem, comissionamento – que consiste em testar e garantir que os itens do equipamento irão operar de forma correta – e startup de obras, possibilita mudanças de local e aproveitamento em outras obras e pode ter a carga aumentada caso seja necessário.

Os servidores da Gerência de Obras e Manutenção de Próprios da Caesb Ginúbio Ferreira e Viviane Vidal foram os responsáveis pelo projeto do Eletrocentro. “A gente fez um projeto básico, e a empresa contratada elaborou um projeto executivo. Nós analisamos e aprovamos. Com o Eletrocentro já fabricado,  Viviane foi à fábrica para inspecionar e aprovar o equipamento para, em seguida, liberar o transporte até Brasília”, relata Ginúbio. “Esse foi o primeiro Eletrocentro adquirido pela Caesb”, reforça Viviane. “Estamos muito empolgados e esperamos resultados excelentes.”

Fonte: Agencia Brasilia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Solve : *
18 ⁄ 9 =