Evento gratuito acontece até 30 de abril no Parque Tecnológico de Brasília (Biotic)

O primeiro dia de atividades da 4ª edição do Brasília Innovation Week foi movimentado. Teve demoday, com apresentações de pitchs de startups na área de cuidados em saúde (healthtech), mentorias, rodada e encontro de negócios em healthcare, um dos quatro drives de inovação que serão abordados ao longo do evento.

A programação gratuita e presencial segue até sábado (30), no Parque Tecnológico de Brasília (Biotic), e contará com atividades voltadas a outros três drives de inovação e tecnologia: educação (edtech), setor financeiro (fintech) e negócios de impacto social (socialtech). As vagas são limitadas, mas as inscrições ainda estão abertas e podem ser feitas pelo Sympla.

Diretor de Healthcare Industry da Microsoft, Rogério Boros | Fotos: Júlia Altoé/Brasil Startups

Com apoio dos Correios e do Sebrae-DF, o evento integra o projeto Startup Brasília 2030 (SB2030), realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do Distrito Federal (FAPDF) e executado pela Associação das Startups e Empreendedores Digitais (Brasil Startups).

“Nos últimos eventos que realizamos foram gerados mais de R$ 10 milhões em negócios e, nesta edição, a expectativa é superar esse valor. O objetivo é fazer com que empreendedores se conectem com investidores e que ocorram sociedades, trocas de conhecimento e inspiração para empreendedores tradicionais a ingressarem no mundo digital e fazer com que Brasília se torne uma cidade mais inovadora e avance no ranking de cidades inteligentes e digitais no Brasil e no mundo”, ressalta o presidente da Brasil Startups, Hugo Giallanza.

Tecnologia em saúde

Entre as startups que apresentaram seus negócios neste primeiro dia de evento está a eSinapse. A plataforma gamificada oferece um serviço de tele reabilitação cognitiva rápida e acessível para crianças e adultos. “Descobri que eu tenho um problema de aprendizagem relacionado ao processamento auditivo, tempos depois eu fechei o diagnóstico do meu filho que tem TDAH. Eu tive acesso, fiz o tratamento e fizemos uma terapia que funcionou, mas isso é muito caro e inacessível para muita gente. Então, desenvolvemos essa ferramenta tecnológica que facilita e acelera a reabilitação de forma digital e com baixo custo”, explica uma das fundadoras da startup Laylla Toledo.

A empreendedora destaca que a ferramenta eSinapse oferece reabilitação cognitiva para quem tem dificuldades de atenção, memória, linguagem e velocidade de processamento, como pessoas que sofrem de TDAH ou sequelas de memória causadas pela covid-19, por exemplo. “O evento é uma oportunidade de dar visibilidade à minha marca, levar a minha mensagem, conhecer parceiros que possam me ajudar.”

Outra solução tecnológica aplicada à saúde foi apresentada pela startup TechCare, que desenvolveu uma plataforma para auxiliar cuidadores e familiares de idosos na prática da medicina preventiva para evitar acidentes e situações que possam afetar ou agravar o quadro de saúde das pessoas assistidas. “A ideia é atuar de forma preventiva em casa. A plataforma também é para uso de médicos, que poderão acessar os relatórios diários”, explica a CEO da startup, Flávia Reis. Ela anuncia que em breve a TechCare oferecerá a interpretação dessas informações por meio de inteligência artificial, gerando insights de prognósticos, terapêuticas e alternativas de tratamento.

Oportunidades e conhecimento

Os participantes do Brasília Innovation Week também puderam assistir palestras, mentorias, workshops e rodadas de negócios valiosos para o desenvolvimento de suas ideias e negócios.

O diretor de Healthcare Industry da Microsoft, Rogério Boros, falou sobre saúde e geração de tecnologia da informação. Já na Mentoria Investors, apoiada pelo Sebrae, o investidor anjo e CEO da TechFounder, Christopher Toya, deu capacitação para investidores.

O dia teve, ainda, rodada de negócios com equipe dos Correios, que apresentou suas soluções em logística para empreendedores, e um meetup com a cientista e empreendedora da Fiocruz/RJ Izabella Gimenes, que destacou as oportunidades que o universo científico oferece para quem quer empreender e inovar.

O evento integra o projeto Startup Brasília 2030

 

“Na minha trajetória eu observei que os cientistas em formação têm as mesmas características que os empreendedores têm, que é ser resiliente, testar hipóteses o tempo todo para buscar soluções, não ter medo do não. Então, conseguir unir essas habilidades e conectá-las ao empreendedorismo proporciona muitas possibilidades de sucesso. É muito importante também estar atento às diversas oportunidades que estão à nossa volta e a grande temática que eu trouxe hoje são as oportunidades que a ciência traz. Algumas dicas valiosas são conhecer os atores do ecossistema, como entidades governamentais aceleradoras, incubadoras, startups, agências de fomento e editais, parcerias para ampliar chances de atuação”, afirma Izabella Gimenes.

Novidades

Esta edição terá outros destaques, como a Innovatour Investor e 1º Demoday by Brasil Startups. A primeira trata-se de uma van que levará investidores e atores principais para conhecerem startups, coworkings e projetos sediados em Brasília, além de outras atividades promovidas pelos parceiros. Já o segundo, é um evento exclusivo para todas as startups cadastradas no Inovatório. A atividade oferecerá conteúdo de qualidade, acesso a investidores do mercado e premiações em dinheiro para startups selecionadas.

*Com informações da Brasil Startups

Fonte: Agencia Brasilia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quatro + dezoito =

Solve : *
14 + 26 =