Profissionais interessados têm até o dia 13 deste mês para fazer inscrição

Principal qualificação exigida é formação em museologia

Até o próximo dia 13, permanece aberto o edital da Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) visando à contratação de cinco consultores individuais para equipamentos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa Federal (Secec). Aos novos contratados caberá elaborar planos museológicos de acervos administrados pela pasta.

A qualificação educacional principal é em museologia – em nível de graduação ou pós –, sendo desejáveis formações em outras áreas das ciências sociais e humanas, variando para cada um dos cinco perfis buscados no documento. Os selecionados terão entre 140 e 290 dias para fazer o trabalho e entregar produtos e resultados detalhados no chamamento público.

“Esse empreendimento visa instrumentalizar administrativamente os museus subordinados à Secec com uma ferramenta de gestão – o plano museológico – para permitir o melhor planejamento das ações concernentes a uma unidade museal, conforme recomendam as normativas do Ibram [Instituto Brasileiro de Museus]”, explica a museóloga Daniele Pestana, da Secec.

Museu Vivo da Memória Candanga é uma das áreas de atuação do conselho | Foto: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília

Serão selecionados cinco perfis. Os consultores do perfil 1 atuarão no Museu de Arte de Brasília (MAB) e no Museu Nacional da República (MUN), cabendo aos do perfil 2 o Museu Vivo da Memória Candanga (MVMC) e o Catetinho. O Centro Cultural Três Poderes (CC3P) será responsabilidade do perfil 3, enquanto o perfil 4 é encarregado de atuar no Memorial dos Povos Indígenas (MPI). Já o Espaço Oscar Niemeyer (EON) ficará por conta do consultor de perfil 5.

Atuação diversificada

Mesmo sendo a museologia o foco, haverá ênfases distintas para cada espaço: artes visuais no MAB e no MUN, história no MVMC, no Catetinho e no CC3P. O Espaço Oscar Niemeyer pode ter seu plano orientado pela história ou arquitetura e urbanismo. A ênfase no MPI será etnográfica.

A etapa de construção do plano museológico, sucede um trabalho anterior de mapeamento do acervo, em que mais de 10 mil itens alocados nos cinco museus foram identificados, descritos, medidos e fotografados para alimentar um banco de dados a fim de subsidiar a política de gestão de acervos da Secec, orientando aquisições e eventuais descartes.

“A ação é desafiadora”, diz Daniele Pestana. “Desejamos que todos os nossos museus tenham a mesma diretriz administrativa, respeitadas as diversidades de cada um”. O trabalho é coordenado pela Diretoria de Preservação da Subsecretaria do Patrimônio Cultural da Secec.

Confira aqui o edital.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

FONTE: AGENCIA BRASILIA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

seis + 20 =

Solve : *
25 − 20 =