Após 10 anos da terapia genética, Doug Olson foi declarado livre da Leucemia crônica, conhecida como câncer no sangue

Que notícia boa! Um homem de 75 anos foi declarado livre da leucemia crônica que tinha depois de uma terapia genética. O tratamento com células imunes eliminou o câncer no sangue que Doug Olson tinha. E mais: após 10 anos da terapia, a doença não voltou mais.

“Isso é uma cura. E eles não usam a palavra levianamente”[…] “Estou ótimo agora. Eu ainda sou muito ativo. Eu estava correndo meias maratonas até 2018”, comemorou Doug Olson, que mora em Pleasanton, Califórnia, Estados Unidos.

A vitória do Doug Olson foi publicada na revista Nature, uma das mais respeitadas do mundo na área médica. Os médicos da Universidade da Pensilvânia disseram que era a primeira vez que a terapia foi estudada por tanto tempo.

O tratamento

O tratamento, chamado terapia com células CAR-T, retreina uma das células imunes mais eficazes para atacar o câncer rapidamente e depois permanecer em patrulha por anos, evoluindo para manter o câncer sob controle.

O paradigma de combate ao câncer durante anos foi atacar as células cancerígenas radioativamente, ou com outros produtos químicos, devido à capacidade do câncer de se disfarçar do sistema imunológico do hospedeiro. Agora, vários métodos de terapias que envolvem a reconfiguração do sistema imunológico para fazer seu trabalho corretamente estão sendo usados ​​em milhares de pacientes.

Como funciona

CAR significa a proteína “receptores de antígenos quiméricos” que podem detectar tumores e permitir que as células T os ataquem.

Eles são extraídos do paciente, geneticamente modificados para produzir CAR e depois reintroduzidos.

Até agora, cinco desses tratamentos foram aprovados pelo FDA para tratar leucemias, linfomas e mielomas.

O Dr. June estima que dezenas de milhares de pessoas receberam tratamento com células CAR-T até agora.

Não é cura milagrosa

Embora possa curar as pessoas, não é uma cura milagrosa.

O tratamento continua caro e tecnicamente exigente. Apenas de 25% a 35% das pessoas chegam à remissão total, como é o caso de Olson.

O Dr. June e Porter acreditam que com refinamento contínuo, essa porcentagem pode aumentar.

Quanto a Olson, ele faz exercícios físicos e corre regularmente com seu filho para tentar se manter em ótimas condições.

“Se meu câncer tivesse desaparecido, eu certamente não queria morrer de ataque cardíaco”, disse ele à Nature.

A terapia com células T CAR modifica as células T — mostradas aqui atacando uma célula cancerosa do cérebro — para reconhecer proteínas específicas - Foto: Steve Gschmeissner/Science Photo Library
A terapia com células T CAR modifica as células T — mostradas aqui atacando uma célula cancerosa do cérebro — para reconhecer proteínas específicas – Foto: Steve Gschmeissner/Science Photo Library

 

Uma célula T humana saudável - Foto: Instituto Nacional de Saúde
Uma célula T humana saudável – Foto: Instituto Nacional de Saúde

Fonte: Sonoticiaboa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

8 + 13 =

Solve : *
10 + 21 =